Faleceu Shintaro Yokochi aos 87 anos de idade

48689

Shintaro Yokochi faleceu hoje aos 87 anos de idade.

Nascido a 31 de outubro de 1935, aos ainda 9 anos sobreviveu ao inferno da primeira bomba atómica sendo um dos poucos sobreviventes para contar as memorias do sombrio 6 de agosto de 1945.

Shintaro Yokochi chegou a Portugal há mais de 65 anos depois de um pedido de um técnico dirigido à Embaixada do Japão pelo Sport Algés e Dafundo.  Essa informação chegou à secção cultural do Ministério do Negócios Estrangeiros do Japão a qual entrou em contacto com a Federação Portuguesa de Natação. Foi assim que Yokochi tomou conhecimento do interesse manifestado por vários países e entre eles Portugal.

Em junho de 1958, com 22 anos, uma licenciatura em Economia Política e muita paixão pela natação, chegou a Portugal e ao Algés com intuito de desenvolver uma equipa de nadadores ao mais alto nível. Apresentou uma proposta no sentido de se construir no clube um centro de estágio que permitisse aos atletas conciliar os estudos com a natação, projeto que ainda hoje tem todo o sentido, mas cujo desfecho foi igual a tantos outros…  nunca se concretizou.

A diferença cultural e de mentalidade levou a afirmar sobre os seus nadadores que “Achei-os preguiçosos. Não tinham preparação e faltavam-lhes hábitos de treino. Depois de iniciar os treinos resolvi despedir todos os nadadores e só voltaram quando se comprometeram a trabalhar mais e melhor”.

Na procura de melhor comunicar em português, Yokochi chegou mesmo a frequentar um curso de português dirigido a estrangeiros e lecionado na Faculdade de Letras de Lisboa, e apesar de não o ter concluído, reconheceu os muito bons professores que teve e que nunca esqueceria. Entre eles Vitorino Nemésio, Marcelo Caetano ou Mário Chicó.

Depois de alguns anos, várias peripécias e desavenças com a Federação, em 1972 recebeu uma proposta do Benfica, a qual aceitou. Foi no SLB que, entre os muitos que formou, treinou o seu filho, Alexandre Yokochi, onde cresceu para natação nacional, europeia e mundial.

O expoente máximo da carreira do Mestre Yokochi deu-se com a participação de Alexandre na final dos 200 metros bruços nos Jogos Olímpicos de 1984. “Esse foi um dos momentos mais felizes da minha vida. É o sonho de qualquer treinador e, tratando-se de um filho, a alegria ainda é maior.” Em 1993 abandonou o Benfica e a natação de competição.

Hoje, entre as inúmeras histórias que deixa, entre as conversas de cais com que há não muito tempo nos entretinha quando nos cruzávamos com ele nas piscinas do Jamor – antes, durante ou depois da sua rotina de treino – Shintaro Yokochi deixa-nos, deixando a imagem de um “Mister” focado no rigor, na disciplina e na competência, deixando um legado a Portugal, que a todos nos cumpre honrar.

Nesta hora de dor, mas também de celebração pela vida cheia de ensinamentos e sucesso, a Associação de Natação de Lisboa apresenta à sua família em luto as mais sinceras e sentidas condolências.

(foto: Joana Melo)